5 de setembro de 2014

Você sabia?








Streptococcus mutans é a espécie que causa uma doença comum conhecida da maioria da população: a cárie dentária. A cárie ocorre porque essa bactéria desmineraliza (desprotege) os dentes quando se instala neles, e produzindo ácido láctico vai degradando o cálcio dental, tornando a arcada vulnerável à infecção.


odontopedia




20 de maio de 2014

Dentes são ossos?





Os dentes são duros, brancos e cheios de cálcio, mas não são considerados ossos. Até mesmo quando se quebra um dente é diferente do ossos.
Os dentes são feitos de cálcio, fósforo e outros minerais, já os ossos contêm cálcio, fósforo, sódio e outros minerais, mas também têm muito colágeno.
E saiba que os ossos não são tão fortes quanto os dentes, que são a parte mais dura do corpo humano
Os dentes são basicamente tecidos calcificados, chamados dentina, cobertos de esmalte que é duro e brilhante.

Fonte: vocesabia

14 de maio de 2014

Implante dentário em pacientes idosos não é somente 
estética, é saúde geral também!





O implante Dentário em paciente idoso, não melhora somente na parte estética, e sim na saúde geral, pois devolve ao paciente a mastigação adequada e com isso consegue ingerir melhor os nutrientes necessários dos alimentos.

7 de maio de 2014

Emergências dentárias,O que você deve fazer?



Dor de Dente

● Faça bochechos vigorosos com água morna.
● Use fio dental para remover quaisquer alimentos presos entre os dentes. Se houver inchaço, coloque uma compressa fria no lado de fora da bochecha. Não utilize nada quente ou coloque medicamentos no dente ou gengiva dolorida.
● Vá ao dentista o mais rápido possível.

Objetos presos entre os dentes

● Tente remover o objeto com fio dental.
● Guie o fio dental cuidadosamente para evitar machucar a gengiva.
● Se você não puder remover o objeto, procure um dentista.
● Não tente retirar o objeto com um instrumento afiado ou pontiagudo.

Perda de dentes

Dentes de Leite. Leve a criança e o dente imediatamente a um dentista.
● Coloque o dente em um recipiente com leite, água salgada ou com saliva da criança.
● Se estes não estiverem disponíveis, use água.
Se você não puder ir a um dentista imediatamente,
● Enxágue levemente o dente em água morna. Não toque na raiz.
● Para dente de leite: Não tente colocar um dente de leite de volta na cavidade. Coloque em leite frio ou em água e leve-o com você quando for ao dentista.
● Para dente permanente: Com cuidado, insira o dente novamente de volta em seu lugar.
● Vá ao seu dentista, se possível, nos próximos 30 minutos.

Quebra de dentes

● Suavemente retire a sujeira ou os fragmentos de dentes da área ferida e limpe com água morna.
● Coloque compressa fria na face, no local do dente ferido, para minimizar o inchaço.
● Procure imediatamente um dentista.
● Aplique pressão diretamente na área da hemorragia utilizando um pano limpo.

Mordida na língua ou na bochecha

● Aplique pressão diretamente na área da hemorragia utilizando um pano limpo.
● Se houver inchaço, aplique compressas frias.
● Se o sangramento continuar, procure um pronto socorro.



* Artigos fornecidos pela Colgate-Palmolive. Copyright 2014 Colgate-Palmolive. Todos os direitos reservados

6 de maio de 2014

Auto-exame da boca



O câncer de boca representa menos de 5% dos casos de câncer. Os fatores que predispõe a doença são fumo, álcool, má higiene bucal e próteses mal ajustadas.

DIANTE DO ESPELHO:

• Toque suavemente com as pontas dos dedos todo o rosto. Puxe com os dedos, o lábio inferior para baixo, expondo a sua parte interna (mucosa) e apalpe-o. Repita a palpação no lábio superior.

• Com a ponta do dedo indicador, afaste a bochecha para examinar a parte interna dela. Faça isso nos dois lados.

• Com a ponta do dedo indicador, percorra toda a gengiva superior e inferior.

• Incline a cabeça para trás e abrindo a boca o máximo possível, examine atentamente o céu da boca. Em seguida diga áááá… e observe o fundo da garganta.

• Ponha a língua para fora observe e apalpe a parte de cima e a de baixo.

• Examine o pescoço. Compare os lados direito e esquerdo e veja se há diferenças entre eles, caroços ou áreas endurecidas.

O que procurar: mudanças na aparência dos lábios, caroços, feridas, sangramentos, inchaços, áreas dormentes, dentes quebrados ou amolecidos. Quando fazer: mensalmente.


Sobreasaude

29 de abril de 2014

Cárie atrapalha a rotina dos brasileiros



A cárie é a doença crônica mais comum no mundo, afetando cinco bilhões de pessoas, ou cerca de 80% da população mundial. No Brasil, o cenário não é diferente: 88% da população ainda sofre deste problema. Em um mundo onde a sociedade está cada vez mais exposta ao consumo de açúcares, que servem de alimento para as bactérias que formam a placa bacteriana, a cárie tornou-se uma doença silenciosa que toma proporções cada vez maiores e impacta a vida pessoal e profissional das pessoas.

A dor causada pela cárie é o problema de saúde bucal de maior impacto sobre o bem-estar dos indivíduos, levando a complicações que interferem diretamente na qualidade de vida. Para a professora de Bioquímica e Cariologia da Unicamp e membro da ACFF - Aliança para um Futuro Livre de Cárie -, Livia Tenuta, é possível relacionar a incidência de cárie a questões como diminuição do rendimento no trabalho, faltas escolares, dificuldades de comunicação e alimentação. “É notório que algumas pessoas acometidas pela doença têm a estética da boca afetada, o que pode causar constrangimentos nos convívios profissional e social. Por isso, é preciso engajar a população sobre a importância da saúde bucal para o corpo todo”, explica a professora.

Consequências poderiam ser evitadas – Atualmente, existem diversas maneiras para prevenir a doença. Fluoretação da água que abastece o sistema público das cidades e cremes dentais fluoretados são exemplos disso. No entanto, uma parcela da população ainda não tem acesso a esses recursos e acaba por não dar a devida atenção à saúde bucal. “Muitas pessoas têm cárie porque não têm acesso aos métodos de prevenção ou não entendem a necessidade de uma boa higiene oral. Nossa missão é educá-las e mostrar que, além de todos os danos acarretados para a vida profissional e pessoal, é muito mais barato prevenir do que tratar as lesões de cárie posteriormente”, reforça a professora.

Fonte: ACFF

28 de abril de 2014

Aprenda cuidados com a escova dental e sua substituição



Como posso cuidar da minha escova dental?

Para preservar a sua escova dental e a sua saúde, certifique-se de deixá-la secar completamente entre um uso e outro. As escovas podem ser meios de cultura para germes, fungos e bactérias, que depois de um tempo podem se multiplicar em níveis significantes. Depois de usar sua escova, agite-a vigorosamente sob água corrente e guarde-a em pé, de forma que possa secar.

Para evitar que os vírus da gripe e resfriado se propaguem de uma escova para outra, tente evitar que sua escova se se encoste a outras quando guardada. Um porta-escovas tradicional com fendas para manter diversas escovas em pé é um investimento valioso para a saúde de sua família.

Com que frequência devo trocar minha escova dental?

A maioria dos dentistas concorda que você deve trocar sua escova dental a cada três meses. Estudos mostram que após três meses de uso normal, as escovas são muito menos eficientes na remoção da placa dos dentes e gengivas em comparação com escovas novas. As cerdas se deformam e perdem a eficiência para limpar todos aqueles cantinhos capciosos ao redor dos dentes.

Também é importante trocar de escova após resfriado, gripe, infecção na boca ou dor de garganta. Isso porque os germes podem se alojar nas cerdas da escova e levar à reinfecção. Mesmo se você não esteve doente, fungos e bactérias podem se desenvolver nas cerdas da sua escova - outra razão para trocar sua escova regularmente.

Como posso proteger minha escova durante viagens?

Uma caixa plástica para escova evitará que as cerdas fiquem espremidas ou achatadas no seu kit de viagem. Após a escovação, no entanto, você deve deixar a escova secar exposta ao ar, para ajudar a reduzir a proliferação de germes.

saude.terra

25 de abril de 2014

Criança também precisa de tratamentos de canal


Apesar de parecer estranho, algumas vezes é preciso tratar o canal de um dente de leite. Isso porque a medida garante que o crescimento dos ossos do rosto e a fala da criança não sejam prejudicados pela falta de um dente que caiu ou foi extraído precocemente. O dente de leite é temporário e será substituído pelo permanente, mas na hora certa. 
As causas para a necessidade de um tratamento de canal são basicamente duas: cárie (que pela profundidade da lesão afetou a polpa do dente) ou trauma (pancadas, quedas, etc). E, segundo a cirurgiã-dentista Melissa Maeda, da clínica Sorridents, os casos são mais comuns do que se imagina. “Esse tipo de tratamento é recorrente, faz parte do nosso dia-a-dia”, diz.
Ocorre que, muitas vezes, os dentes de leite são negligenciados, uma vez que os pais pensam que como são temporários não precisam de tantos cuidados. “Os dentes demoram anos para serem totalmente trocados e estes dentes afetados são foco de infecção, que, por sua vez, podem ser a origem de dores de garganta recorrentes, por exemplo”, afirma Maeda.
Dente de leite também tem raiz
O ondontopediatra Gustavo Camilo explica que, em termos de anatomia, dentes de leite e dentes permanentes são idênticos – têm esmalte, que é o tecido mais externo da coroa do dente e o mais duro do corpo humano, a dentina, que fica logo abaixo o esmalte e é responsável pela cor do dente, e a polpa, o famoso “nervinho” do dente.
“O canal é a região no interior do dente onde fica a polpa radicular, traduzindo, é o lugar dentro da raiz do dente onde fica o nervo”, diz Camilo. 
Assim, quando o dentinho de leite recebe uma pancada, pode haver a necrose da polpa devido ao trauma, ou seja, o nervinho do dente “morre”. Já nos casos de cárie muito profunda, há um grande risco de haver infecção que pode comprometer o dente permanente que está se desenvolvendo. 
Para tratar tudo isso, o dentista retira a parte viva do dente – polpa – e limpa e seca o espaço que ficou e preenche com um material que manterá o espaço sem bactérias. Algumas vezes é necessário usar anestesia. “A técnica do tratamento de canal é diferente em crianças, pois o material não pode interferir no processo natural da troca deste dente”, diz Melissa. Segundo a dentista, a extração é recomendada apenas nos casos em que o dente comprometido já esteja próximo do tempo de troca do dente pelo permanente.
Para não se preocupar com canal
- Escove bem os dentes depois das refeições – no caso de crianças até 6 anos, os pais devem realizar a escovação por eles, pois não possuem coordenação motora desenvolvida suficientemente
- Passe o fio dental
- Restrinja o consumo açúcar e carboidrato 
- Não deixe a criança dormir com mamadeira – após mamar, os dentes precisam ser higienizados
- Visite o dentista regularmente


saude.terra

23 de abril de 2014

Que tal concorrer a uma linda cesta de café da manhã no 
dia das mães? É muito fácil participar! Não fique por fora dessa!


Acesse nosso Facebook e saiba mais:







22 de abril de 2014

Curiosidades do paladar:





O GOSTO DECIFRADO.
Olfato e paladar atuam juntos quando saboreamos um petisco.
1. Contato com o sabor.
A língua é o principal agente a investigar um salgadinho ou um chocolate. Mas o palato, o céu da boca, e a garganta também têm alguma sensibilidade para isso. É a saliva quem leva o composto para dentro dos botões gustativos.
2. Passagem obrigatória.
As informações captadas pela parte anterior da língua, que fica na boca, são transportadas pelo nervo facial até o tálamo. Já o nervo glossofaríngeo leva os dados enviados pela parte final da língua, na faringe. É um arranjo para que a mensagem chegue ao cérebro.
3. Uma ajudinha do olfato.
Quando mastigamos, partículas de odor da comida chegam ao teto das fossas nasais. Essa notícia potencializa a decodificação do petisco em questão.
4.0 que é o que é?
A soma do gosto e do cheiro se faz no tálamo, onde tudo é assimilado. Lá também aterrissam os dados sobre temperatura e textura do alimento. No córtex gustativo primário a refeição será finalmente interpretada.

Fonte: sobreasaude


17 de abril de 2014

Adicione o “fio dental” à sua rotina diária





 Se você se sente culpado por responder timidamente “nem sempre” quando seu dentista te pergunta sobre passar fio dental, você não é o único. Estatísticas dizem que cerca de 80% das pessoas não usam fio dental.
Embora tenha ouvido sobre importância do fio dental, você provavelmente não presta atenção quando o dentista começa a falar sobre isso. Por alguma razão é um hábito difícil de incorporar, provavelmente porque leva tempo, faz bagunça, ou por ser mais uma coisa que você tem que fazer.
Bom, acontece que essa parte de sua rotina diária vale cada segundo. Uma vez que sua escova de dente não consegue alcançar cada canto da sua boca (como entre os dentes), o fio dental é a melhor maneira de remover qualquer partícula de comida e placa para prevenir cárie nos dentes e gengivite (inflamação do tecido da gengiva). Como um bônus, ajuda a prevenir o mau hálito, uma vez que pode impedir que bactérias se formem nesses lugares difíceis de alcançar.
O fio dental é importante para manter a gengiva saudável e prevenir doenças periodontais. Sua saúde bucal está ligada a sua saúde física e não escovar ou passar fio dental nos dentes realmente pode te deixar suscetível a infecções.
Além de reconhecer que o uso do fio dental é um bom hábito,  você pode adicionar isso à sua rotina diária se você tem problema com o fio dental tradicional. Há várias opções que podem ser usadas para limpar entre os dentes. Os primeiros são o floss pick e o grampo de fio. Essas engenhocas úteis são fáceis de usar, rápidas e legais. Para pessoas com espaço entre os dentes, utilize uma escova interdental. Ao fim de cada dia, você verá como, logo após passar o fio, sua boca fica refrescante e com a sensação de que acabou de sair do dentista.
Wikimedia Commons


16 de abril de 2014

Confira 10 dicas para amenizar a sensibilidade nos dentes:





Fraturas, bebidas e alimentos ácidos, cáries, entre outros vilões, podem desgastar o dente, uma das principais causas da sensibilidade. Mas, antes de pensar nos tratamentos, é importante dizer que a sensibilidade causada por desgaste do esmalte pode ser prevenida com mudanças de hábitos diários.

1-Escolha a escova com cuidado: A escova deve ter grande quantidade de cerdas e ser do tipo ultramacia. As cerdas arredondadas também são indicadas.

2-Fique longe de bebidas ácidas: Refrigerantes, energéticos, isotônicos, devem passar longe dos dentes. Mesmo sucos mais ácidos devem ser ingeridos com canudinho. Assim evita-se o contato da acidez com os dentes.

3-Na salada: O mesmo ocorre com o vinagre. Opte apenas pelo azeite e sal para evitar o choque nos dentes sensíveis.

4-Tenha sempre um chiclete na bolsa ou no bolso: Em vez de comer e ir direto escovar os dentes, vale mascar uma goma sem açúcar. Isso estimulará o fluxo salivar, que neutraliza a acidez da boca. Por outro lado, caso a escovação seja feita com o pH desequilibrado, a acidez é passada nos dentes pela escova, o que desmineraliza o esmalte.

5-Creme dental especial: O tipo de creme dental usado por quem tem dentes sensíveis deve ser indicado pelo dentista. Algumas vezes, ele pode recomendar marcas que sejam específicas para o problema. Os produtos branqueadores normalmente são mais abrasivos, ou seja, inimigos da sensibilidade.

6-Flúor: Cremes dentais e enxaguante bucal com flúor podem ajudar a fortalecer o esmalte dos dentes. O flúor em gel também pode ajudar nas crises. Fale com o dentista sobre essas possibilidades.

7-Higiene impecável: Escovar os dentes, passar fio dental, limpar a língua são passos imprescindíveis para deixar a boca saudável. Consequentemente, a cárie não se instalada e o esmalte dentário não corre riscos.

8-Clareamento com supervisão: Todos os tipos de clareamento dentário devem ser recomendados pelo dentista. Mas, para quem já tem dentes sensíveis, até as soluções caseiras devem passar longe. No mercado existem cremes dentais, fitas adesivas e kits branqueadores. Eles podem agravar o quadro de sensibilidade. Para garantir dentes brancos e sem dor, só com acompanhamento profissional.

9-Cuidado com a força: A escovação não exige força e sim movimentos e ferramentas adequadas. A pressão em demasia pode desgastar o esmalte e piorar a sensibilidade. A escova deve estar a 45 graus em relação aos dentes para alcançar mais fundo nas gengivas.

10-Trate o bruxismo: Caso exista a desconfiança de bruxismo, é importante ir ao dentista para tratar o problema. O profissional pode indicar placas para serem usadas durante a noite, que evitam o desgaste do esmalte dental.


saude.terra

15 de abril de 2014

O que é Xerostomia? (Boca Seca)




xerostomia, popularmente conhecida como boca seca, trata-se de um sintoma ligado à falta de saliva na cavidade oral em decorrência da diminuição ou interrupção da função das glândulas salivares.
Esta condição pode surgir por diversos motivos, como:
  • Uso de certos medicamentos, com antidepressivos e anticolinérgicos;
  • Ingestão inadequada de líquidos;
  • Respiração bucal crônica;
  • Infecções nas glândulas salivares;
  • Uso de tabaco;
  • Radioterapia realizada na cavidade oral;
  • Fatores emocionais, como o estresse;
  • Lesões nos nervos que inervam as glândulas salivares;
  • Higiene bucal deficiente;
  • Patologias sistêmicas e metabólicas;
  • Síndrome de Sjögren;
  • Síndrome de Heerfordt.
Esta disfunção pode ocasionar dificuldade para deglutir e falar, além de halitose e exacerbado aumento de cáries dentárias, uma vez que o efeito protetor da saliva está ausente ou drasticamente reduzido, deixando também a mucosa bucal mais vulnerável a infecções. Também podem ocorrer alterações na língua, como atrofia das papilas, rachaduras, sensibilidade e queimação.
Quando esta condição é crônica, o paciente fica predisposto a apresentar cárie dental aguda, problemas periodontais com posterior perda dos dentes. Em decorrência da secura da boca, o paciente sente incomodo para utilizar próteses dentárias e aparelhos protéticos.
Durante o diagnóstico do fator desencadeante da xerostomia, é importante identificar se tem causa é salivar ou não-salivar. Deve-se fazer a distinção entre a boca seca relacionada à hipofunção secretora ou não para a implementação do tratamento adequado.
Pacientes com xerostomia, além do tratamento adequado, podem adotar algumas medidas, como aumento da ingestão de água, goma de mascar sem açúcar e evitar o uso de tabaco e álcool. Realizar uma boa higiene bucal e check-ups regulares auxilia na manutenção de uma boca saudável.



Infoescola

14 de abril de 2014


A prevenção do câncer na boca é possível através de hábitos saudáveis que incluem:



- Evitar o consumo excessivo de álcool;
- Evitar fazer uso excessivo de cachimbos e cigarros;
- Evitar exposição ao sol sem proteção;
- Evitar próteses desajustadas à sua boca;
- Ter uma boa higiene bucal, escovando os dentes 4 vezes ao dia, de preferência após todas as refeições;
- Ter um acompanhamento odontológico frequente;
- Manutenção de uma dieta saudável, rica em frutas e legumes;
- Realizar um auto exame da boca, procurando qualquer tipo de alteração como feridas, inchaços ou manchas.

O câncer da boca é uma doença que se caracteriza pelo aparecimento de tumores malignos na região bucal. Tem maior incidência em homens com mais de 40 anos de idade. A prevenção com consultas odontológicas frequentes é importante para um diagnóstico precoce, pois se o câncer for descoberto em estágio avançado pode ser fatal.



Tuasaude

11 de abril de 2014

Conheça alimentos que limpam os dentes

É possível selecionar para o cardápio alimentos que previnem gengivite, mau hálito e cáries, além de dar uma ajuda na limpeza bucal. Maçã, cenoura, coco, amêndoas e castanhas, pera, kiwi, melancia, cenoura, acelga e pepino são boa opções para quem come fora e nem sempre pode dar a atenção devida à higiene oral. 
“Alimentos fibrosos sempre ajudam na higienização oral”, diz o cirurgião-dentista Joel dos Santos. Ocorre que parte dos restos alimentares e bactérias dos dentes é removida com a mastigação.
Porém, não é permitido trocar o trio escova, pasta e fio dental, pelos alimentos detergentes. “A escovação tem a função de desorganizar o biofilme oral e não de remover detritos alimentares”, esclarece o dentista Hugo Roberto Lewgoy. Ele sugere que os restos de alimentos sejam removidos com fio dental ou escova interdental.
Reforço para a saúde bucal:
Frutas e vegetais com vitamina C auxiliam na prevenção das gengivites e ajudam na manutenção da saúde dos tecidos de suporte dos dentes. Já leite, queijos, frutas frescas, vegetais e alimentos integrais são benéficos para a formação da estrutura dental e para a manutenção da saúde oral.
Como cardápio ideal para quem quer cuidar da saúde bucal, a nutricionista funcional Gismari Bertoncello incentiva o consumo de todas as frutas e verduras. “Dê preferência para as orgânicas e da época (que possuem mais nutrientes), inclua mais gorduras boas como castanhas e abacate e restrinja o consumo de açucares embutidos nos alimentos (biscoitos, sucos, pães brancos e refrigerantes)”, diz.
Lista de Compras:
Invista em:
sucos com couve (rica em magnésio e outros minerais importantes na calcificação), algas, todas as frutas e verduras, castanhas e nozes, ovos, alimentos ricos em fibras, a dupla arroz e feijão. 
Passe longe de: açúcar, café, molhos, sucos industrializados e artificiais, refrigerantes, guloseimas, carboidratos refinados, alimentos extramente ácidos como limão (se consumidos excessivamente). 
Onde encontrar:
- Vit C: folhas verdes, frutas cítricas (laranja, limão, mexirica), abacaxi, acerola.
- Cálcio: brócolis, soja, vegetais verdes escuros, leite e derivados
- Magnésio: cereais integrais e vegetais folhosos escuros
- Fósforo: leite, carne bovina, ovos, aves e peixes
- Flúor: água e alimentos fortificados e alguns vegetais como: agrião, alho, cebola, couve e maçã.

Fonte: saude.terra

10 de abril de 2014

Gengiva



A gengiva é o tecido epitelial, ricamente vascularizado, que reveste o osso e serve de sustentação dos dentes (alveolar).

Tem tonalidade variando entre vermelho–claro e roxo, constituindo parte da mucosa bucal.

As doenças na gengiva surgem em decorrência da formação de uma placa bacteriana no espaço entre ela e os dentes.

Para manter uma gengiva saudável, deve-se fazer uma boa higiene, com a quantidade certa de creme dental, ter bons hábitos alimentares e evitar o cigarro.

Fonte: Brasilescola

7 de abril de 2014

Ortopedia Facial



Ortopedia Facial é o ramo da odontologia que trata as relações entre os maxilares, ou seja, trata da correção das relações desarmônicas entre as bases ósseas. Ao contrário da Ortodontia, a Ortopedia não aplica forças diretamente sobre dentes e nem mesmo usa força mecânica para conseguir tratar os problemas de má-posição dos dentes.

A Ortopedia não precisa das coroas dos dentes permanentes erupcionados para começar o tratamento. Os aparelhos usados em Ortopedia atuam sobre os ossos, músculos e outros elementos da face para obter a correção.

A Ortopedia facial "trabalha" em conjunto com o crescimento da criança. Assim, da mesma maneira que na ortopedia médica, somente pode ser utilizada e conseguir bons resultados se aplicada durante o crescimento facial. Após o estirão pré-pubertal, ou seja, aos 12 ou 13 anos, seus resultados são bem mais limitados. O ideal é começar qualquer tratamento logo que se apresente a displasia facial ou a má-oclusão dental.

Em alguns casos os pacientes recebem um tratamento combinado, utilizam-se aparelhos de Ortopedia Facial e de Ortodontia.

Fonte: brasilescola

4 de abril de 2014


Quais são as diferentes partes de um dente?



Coroa: quando o dente está saudável, esta deve ser a única parte visível do dente. A superfície da coroa determina a função do dente. Por exemplo, os incisivos são planos e têm forma de “lâmina de faca” para cortar, os caninos são aguçados para rasgar, enquanto que os molares e pré-molares têm superfícies planas e largas para mastigar convenientemente os alimentos.

Raiz: é a parte do dente que está envolvida pelo osso e gengiva. A raiz constitui até dois terços do dente e mantém-no fixo ao maxilar.

Esmalte: a camada mais externa da coroa dentária. O esmalte é o tecido vivo mineralizado mais duro do corpo humano, contudo, pode ser destruído pela ação dos ácidos que se podem formar na boca.

Cemento: é a porção mais externa da raiz dentária e permite a ligação entre o dente e o osso.

Dentina: é a camada situada por baixo do esmalte e do cemento, constitui o mais extenso tecido dentário, incluindo no seu interior extremidades de tecido nervoso responsável pela condução dos estímulos dolorosos. É também um tecido vivo mineralizado, contudo, muito menos resistente que o esmalte à ação destruidora dos ácidos.

Polpa: tecido mole que se encontra no centro do dente, onde se situam o nervo dentário e os vasos sanguíneos do dente. Se a destruição atingir a polpa, a dor torna-se insuportável.

Fonte: portaldasaude

5 de março de 2014

Sinais que a criança precisa de tratamento:




- Desvio lateral da arcada superior em relação à inferior;
- Hábito de chupar o dedo que continua mesmo após os seis ou sete anos de idade;
- Dificuldade para mastigar;
- Desgaste desigual ou excessivo dos dentes;
- Espaços entre os dentes (dentes superiores muito à frente dos dentes superiores).
- Dentes superiores e anteriores cobrem a maioria dos dentes inferiores – queixo muito para trás;
- Dentes superiores e anteriores estão atrás dos dentes inferiores - deixando o queixo muito para frente;
- Dentes anteriores não se tocam mesmo com a boca fechada – mordida aberta;
- Apinhamentos ou dentes sobrepostos a outros.

Benefícios do tratamento ortodôntico em crianças

- Capacidade de modificar o crescimento dos ossos da face;
- Correção da má oclusão (mordida errada) com resultados melhores e mais estáveis;
- Correção de hábitos nocivos de sucção e deglutição;
- Melhora no padrão e na capacidade respiratória;
- Melhora na função mastigatória;
- Menor chance de efeitos colaterais, pois as raízes dos dentes ainda estão pouco desenvolvidas e apresentam respostas biológicas mais favoráveis às forças aplicadas;
-Pacientes em idade infantil apresentam boa cooperação e tendem a lidar bem com o uso de aparelhos dentários.
- A autoestima do paciente e satisfação dos pais são considerados benefícios do tratamento ortodôntico infantil. 

saude.terra